Tucumã Brasil - Plataforma de difusão cultural

2017

Pode ou não pode? Reflexão!

Leave a Comment
Olá pessoal,
Gostaria de contar uma pequena história real do que se passou comigo a muito tempo tempo atrás. É uma visão minha sobre a capoeira e a sua imensa gama de pensamentos e atitudes.
Vamos lá para a historinha!

Lembro-me que certa vez, uma pessoa(professor) chegou a mim e fez várias perguntas, só que fez as perguntas eram para me testar e como se diz aqui na minha terra: "se amostrar".

Chegou assim até mim e disse: " Fulano, tem uma foto na internet que mostra o Mestre Pastinha parece que ta dando um mortal. Eu posso dar mortal na angola?
Respondi: Pode!

Fulano(meu nome), eu quiser dar um pau(soco) na benguela, posso?
Respondi: Pode!

Fulano, se eu montar um grupo e querer colocar uma corda de mestre na cintura, posso?
Respondi: Pode!

Intrigado, depois do show dele, ele me perguntou: Você estava falando serio ou estava de gozação?
Eu respondi: Se você quiser fazer tudo isso na roda pode, como vou impedi-lo?
Só que mais importante do que perguntar se pode, é a pegunta "Devo"?

Reflexão
Dentro do universo da capoeira sempre encontraremos perguntas e infinitas respostas. Quando disse que pode, queria dizer que as pessoas já fazem isso hoje.
As pessoas dão saltos mortais no jogo de angola(não estou questionando se é certo ou errado) batem nas outras(em qualquer tipo de jogo) e muitos montam seus próprios grupos(independente das razões) e dão-se a corda de mestre.

Esta realidade infelizmente faz parte da capoeira, como poderia eu dizer que não pode ou que não tem?
Estamos vendo os estrangeiros fazerem o mesmo que o brasileiro lá fora. Como poderia eu dizer a eles que não pode, se os brasileiros o fazem?

Não estou aqui dizendo o que é certo ou errado, nem sou o dono da verdade. Mas gostaria através deste post promover o debate dos assuntos referentes a capoeira!




Exercer seus direitos e deveres, trocar ideias, divulga-las. Esse é o nosso papel.