Tucumã Brasil - Plataforma de difusão cultural

2017

Escravidão, igreja e pre-conceito. Part. 01

1 comment

O catolicismo no Brasil foi trazido por missionários que acompanharam os exploradores e colonizadores portugueses nas terras do Brasil. O catolicismo possui grande presença social, política e na cultura do Brasil.

A igreja apoiou o tráfico de negros. O papa Nicolau V, em 1454 autorizou o mercado escravo de africanos pela bula “Romanus Pontifex”. A Igreja justificava o tráfico dizendo que o negro era pagão, e a escravidão era uma forma de salvar o negro, salvar sua alma, prometendo-lhe a vida eterna, depois da morte.

Com o a chegada do Pe. Manuel da Nóbrega (1517-1570), junto com Tomé de Souza; José de Anchieta (1534-1597), em 1553; o padre Antônio Vieira (1608–1697); dentre muitos outros, temos a forte presença religiosa. Eles foram fundamentais para a ampliação da cristianização dos nativos na América Portuguesa, através de seus sermões que valorizavam a vida humana, atacavam os maus tratos dos senhores, assinalavam que os escravos precisavam trabalhar arduamente para purificar seus corpos visando a salvação...


Alguns textos dos livros bíblicos no quais se baseavam para a pratica da escravatura pelo mundo.


"Quem matar Caim será vingado sete vezes." E Javé colocou um sinal sobre Caim, a fim de que ele não fosse morto por quem o encontrasse. (Gênesis 4:15)

Aqui muitos usavam este texto, interpretando que o sinal de cor seria a pele do negro. Dizendo que todos os negros eram descendentes de Caim.




Can ou Cão:

20. E começou Noé a ser lavrador da terra, e plantou uma vinha.
21. E bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda.
22. E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos seus irmãos no lado de fora.
23. Então tomaram Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre ambos os seus ombros, e indo virados para trás, cobriram a nudez do seu pai, e os seus rostos estavam virados, de maneira que não viram a nudez do seu pai.
24. E despertou Noé do seu vinho, e soube o que seu filho menor lhe fizera.
25. E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos.
26. E disse: Bendito seja o SENHOR Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo.
27. Alargue Deus a Jafé, e habite nas tendas de Sem; e seja-lhe Canaã por servo.
Gênesis 9:20-27


Obs:


  1. A bíblia além de ser um livro inspirado por Deus, é também um ótimo livro de consulta histórica, pois relata de maneira precisa os acontecimentos da humanidade.
  2. A bíblia não incentivava a escravidão, foi erroneamente interpretada e manipulada para fins lucrativos.
Somos manipulados a séculos...Vamos pensar um pouco em algumas análises:

A palavra: Denegrir / vem de negro / porquê sempre a palavra negro esta associada ao que é mal?
Resposta: Por quê desde os primórdios da humanidade as pessoas adoram o deus SOL.

Brilhante / inteligente.

"a coisa esta preta"
Remédios de tarja preta.
Código Negro...entre outras.



They say: only - only -
only the fittest of the fittest shall survive -
Stay alive! Eh!


Eles dizem: somente, somente,
Que somente o mais adaptado dos mais adaptados deve viver,
Permaneça vivo! Eh!




Que País é esse onde o preconceito está guardado em cada peito?!
Que País é esse onde as pessoas não podem ser iguais, devido a suas classes sociais ?!




Bob Marley


Algumas indicações de estudo:
Documento: "Memória e Reconciliação: a Igreja e as Culpas do Passado" – João Paulo II (ano 2000)
- Alencastro, Luiz Felipe de, O trato dos viventes: Formação do Brasil no Atlântico Sul, séculos XVI e XVII, São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
- GRUZINSKI, Serge. A guerra das imagens: de Cristóvão Colombo a Blade Runner (1492-2019). São Paulo: Companhia. das Letras, 2006.
- LÓPEZ DE GÓMARA, Francisco. Historia de la conquista de México. México: Oceano, 2003.
- BENÍTEZ, Fernando. Los Índios de México. Tomo 5, México: Biblioteca Era, 1995.
- BOSI, Alfredo. Dialética da Colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.
- BOXER, Charles R. A Igreja e a expansão ibérica (1440 - 1770). Lisboa: Edições 70, 1989.
____. O império marítimo português. (1415 - 1825). Lisboa: Edições 70, 1994.
- ELLIOTT, J.H. A Conquista espanhola e a colonização da América. In: BETHELL, L. (org.). História da América Latina. Volume 1: América Latina colonial. São Paulo/Brasília: Edusp/FUNAG, 1997.
- ELTON, G. R. A Europa durante a Reforma (1517-1559). Lisboa: Editorial Presença, 1996.
- GEREMEK, B. Igreja. In: ENCICLOPÉDIA EINAUDI. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1984. v. Memória/História, v 12. p. 161-167.
- GRUZINSKI, S. La colonización de lo imaginario. Sociedades indígenas y occidentalización en el México español. Siglos XVI - XVIII. México: F C E, 1991.
____, BERNAND, Carmen. De la idolatría. Una arqueología de las ciencias religiosas. México: FCE, 1992.
- HOBSBAWN, E. & RANGER, T. (org.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.
- HÖFFNER, Joseph. Colonização e evangelho. Ética da colonização espanhola no Século de Ouro. 2a ed. Rio de Janeiro: Presença, 1977.
- KONETZE, R. América Latina. La época colonial. 26a ed. México: Siglo Veintiuno editores, 1997.
- LAFAYE, Jacques. Mesías, Cruzadas, Utopias: el Judeo e Cristianismo en las sociedades ibericas. Tradução: Juan José Utrilla. México: Fondo de Cultura Econômica. 1984.
- MULLET, Michael. A Contra-Reforma. Lisboa: Gradiva, 1985.
- PIERRARD, Pierre. História da Igreja. São Paulo: Edições Paulinas, 1982.
- RAMINELLI, Ronald. Imagens da colonização. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.
____. Império da Fé In: BICALHO,M. F., GOUVÊA, F., FRAGOSO, J. O antigo regime nos trópicos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.
- REILLY, Bernard F., Cristãos e muçulmanos: a luta pela Península Ibérica. tradução: Maria José Giesteira – Lisboa: Teorema, 1998.
- ROMANO, R.. Mecanismos da Conquista Colonial. São Paulo: Perspectiva, 1973.
- SOARES, Mariza de Carvalho. Devotos da cor. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.
- SOUZA, Juliana Beatriz Almeida de. Virgem ibero-americana: devoción a Nuestra Señora y colonización na America. In: IX Congresso da ALER, 2002, Lima: IX Congresso da ALER, 2002. v. 1.
- SOUZA, Laura de Mello e. O diabo e a Terra de Santa Cruz. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
____. Inferno Atlântico: demonologia e colonização: séculos XVI - XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
- TODOROV, T. A conquista da América. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1988.
- VAINFAS, Ronaldo. Trópico dos pecados: moral, sexualidade e inquisição no Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Campus, 1989.
____.América em Tempo de Conquista.Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 1992.
____. História das Mentalidades e História Cultural. In: Domínios da História. Rio de Janeiro: Campus.
- VINCENT, Bernard. 1492: Descoberta ou Invasão. Coleção América 500 anos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1992.