Tucumã Brasil - Plataforma de difusão cultural

2017

UM MARTELO PRO CARTOLA

Leave a Comment

HÁ 104 ANOS ATRÁS, NO MESMO BAIRRO DO CATETE ONDE EU NASCI, NASCIA AGENOR DE OLIVEIRA, O CARTOLA DA MANGUEIRA E HOJE DIA 11 DE OUTUBRO, O MESTRE FARIA 104 ANOS. Esta é minha pequena homenagem:

UM MARTELO PRO CARTOLA
Autor: Victor Alvim (Lobisomem)

Lá no morro desponta a alvorada
Eu levando correndo e olho o céu
Uma nuvem descortinando um véu
Emoldura com sua cor rosada
A Mangueira uma árvore sagrada
Baobá do sambista brasileiro
Seu cenário é o Rio de Janeiro
O sol nasce trazendo um bom dia
Tingindo com as cores da poesia
A estação do seu poeta primeiro

Nestas cores eu busco inspiração
Verde e rosa combinação perfeita
É chegada a hora da colheita
Na Mangueira poesia é tradição
Feito fruta no pé, raiz no chão
Neste chão que o menino joga bola
Na favela onde tanta coisa rola
Onde mora um povo tão bonito
Neste solo o poeta fez se mito
Neste chão que viveu mestre Cartola

O seu nome Angenor de Oliveira
Veio ao mundo cumprir sua missão
Fazer música com alma e coração
E fundar sua estação primeira
A escola de samba de Mangueira
Onde o mestre Cartola foi reitor
Dedicou sua vida com amor
E a Mangueira hoje é orgulhosa
Deste mito e herói da verde e rosa
O querido Cartola Angenor

Quando o mundo me vem feito um moinho
Triturando meus sonhos e ilusões
Eu começo a lembrar suas canções
E cantar suas músicas sozinho
Eu disfarço e choro um pouquinho
Pro inverno do tempo amenizar
Na verdade o que me faz chorar
É a saudade que o Cartola deixou
E a Mangueira toda também chorou
Quando foi para o céu com Deus cantar

E até mesmo as rosas que não falam
Porém choram sua falta sentindo
Mas quando alguém me ver sorrindo
São sambas de Cartola que me embalam
E o perfume que as rosas exalam
Trazem sua presença e energia
Entre as cordas de aço e a bateria
Da Mangueira sua querida escola
Corro, olho pro céu, vejo Cartola
E meu peito explode de alegria
Curtir ·  ·  · há 10 minutos ·