Tucumã Brasil - Plataforma de difusão cultural

2017

Ação social do Movimento Capoeira Mulher no Hospital Ophir Loyola

Leave a Comment

HOL realiza programação especial para pacientes com câncer de mama

 24 OUT 2014 BANNER DESTAQUE, NOTÍCIAS

Dando continuidade às ações alusivas ao Outubro Rosa, o Hospital Ophir Loyola realizou hoje (24), uma programação especial para 120 pacientes em tratamento contra o câncer de mama, no Serviço de Radioterapia. O evento promoveu a integração dos profissionais com as pacientes, divulgando cuidados com a saúde feminina e oferecendo ações voltadas para a autoestima das mulheres. As apresentações artísticas e musicais contaram com a participação do grupo Capoeira Mulher, do Cantor Lírico Eric Baliros, da professora de dança Clara Pinto e outras atrações, também foram ofertados serviços de beleza como maquiagem e manicure.A iniciativa teve como objetivo dar visibilidade à luta contra este tipo de câncer, o segundo mais incidente no Pará e o mais frequente nas mulheres, fortalecendo a importância do diagnóstico precoce e do acesso de qualidade ao tratamento. Somente o HOL, de janeiro a gosto de 2014, atendeu 316 casos novos de câncer mama, o segundo mais incidente no Pará, ficando atrás apenas do câncer do colo do útero.Uma dinâmica possibilitou que as mulheres exprimissem palavras que retratassem o enfrentamento da doença. Palavras como fé, família e esperança foram escritas em rosas e colocadas em uma árvore.  “Estamos promovendo a socialização entre nossas pacientes. A ideia é humanizar o ambiente hospitalar, mostrar que mesmo com câncer, elas têm uma perspectiva de dias melhores. Mostrar que continuam lindas, pois não é o cabelo que emoldura o rosto da mulher, é o sorriso”, disse Mônica Vilhena, assistente social da radioterapia.A dramatização “Um toque de amor” foi um dos momentos mais emocionantes por trazer o depoimento de Ivanilda Colta, 38 anos. Há dois anos sentiu algo estranho no seio enquanto tomava banho e após exames teve a certeza do diagnóstico. “Um profundo sentimento de angústia tomou conta de mim. Vi dois caminhos, sentir revolta e deprimir ou esforçar-me para levantar a cabeça. Apesar das dificuldades, escolhi a segunda opção. A fé é vital nesse momento, hoje me sinto mais bonita e sensual”, contou.Da mesma forma Hilda Santos, 42, procura vivenciar esta realidade. Ela dançou a música “Enquanto  Houver Sol” dos Titãs para retratar a esperança pela cura.  Casada e mãe de quatro filhos, mostra-se sempre sorridente. “ Quando recebi o resultado da biópsia, fiquei impactada. Hoje procuro não pensar no câncer, nem me abalar e assim o tempo vai passando”, relatou. O movimento Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo e remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Texto : Leila Cruz – Ophir Loyola